Marrocos para lá de Marraquexe: explora o país de Norte a Sul

Marrocos cativa todos os sentidos e vai deixar-te desnorteado e perplexo. As cores mudam à medida que atravessas várias paisagens: desde as águas azuis-acinzentadas do Atlântico ao amarelo torrado pelo sol do Saara. As cidades são um frenesim de sons e pessoas convergindo nas suas medinas movimentadas. O aroma a especiarias e pratos exóticos uma tentação a cada passo.

Aqui guiamos-te pelas melhores experiências de uma viagem por todo o país: desde as cidades costeiras ao deserto quente e muitas cidades anciãs pelo caminho.

À volta de Marraquexe

 O oásis Palmeraie

O oásis Palmeraie

A tua viagem a Marrocos começará mais provavelmente em Marraquexe. A cidade tem muito para oferecer, e com montanhas, deserto e mar na vizinhança, tens muita margem de manobra. O nosso guia da cidade explora marcos culturais conhecidos e leva-te numa viagem sensorial – com especiarias coloridas, iguarias doces, experiências de hammam relaxantes e paisagens exóticas.

Marraquexe é conhecida pelo seu ritmo frenético e vais precisar de um bocadinho de paz e sossego depois de passares aqui uns dias. O oásis de palmeiras Palmeraie, situado na ponta norte da cidade, é a expressão física da tranquilidade. Entre milhares de palmeiras de tâmaras centenárias, há resorts verdes que te proporcionam a serenidade necessária para recarregares as baterias.

Para os aficionados do golfe, uma estadia no Palmeraie Palace (preços a partir de 806 MAD [€73] por quarto, por noite) inclui acesso a um dos campos mais bonitos da cidade com vistas majestosas da cordilheira do Atlas vizinha.

Explora as montanhas de Marrocos

 A cordilheira do Atlas impera sobre Marraquexe

A cordilheira do Atlas impera sobre Marraquexe

Um par de dias no oásis de palmeiras e vais estar pronto para voltar à acção. A 90 minutos para sul de Marraquexe fica a maior cadeia de montanhas do Norte de África – a cordilheira do Atlas.

Habitada pelas populações Bérber, a cordilheira está pontuada de aldeias e vilarejos remotos, pináculos emergindo aqui e ali e montanhistas que atravessam lentamente os desfiladeiros. A paisagem muda consoante a estação: neve espessa no Inverno, rios transbordantes na Primavera, um sol abrasador nos meses de Verão e finalmente uma visão de vermelhos e castanhos no Outono.

Poderás sentir-te tentado a subir ao pico mais alto da cordilheira. O Jebel Toubkal (4167m) pode ser alcançado a partir da pequena aldeia de Imlil situada no sopé da montanha. Uma vez derretida a neve, este trek é mais um passeio que uma escalada, mas convém ainda assim estar em forma. Em alternativa, caminhar pelos bonitos trilhos do Vale de Mizane ou Azzadene Valley também satisfazem o apetite pela natureza imaculada.

Toma sol na costa marroquina

 Os tradicionais barcos azuis de Essaouira

Os tradicionais barcos azuis de Essaouira

És mais de praia e mar do que montanha? Não te preocupes. Marrocos não te vai desiludir. A apenas 3 horas de carro para oeste de Marraquexe dás por ti a respirar o ar revigorante trazido pelos vents alizés (ventos alísios). Na cidade de Essaouira, o vento torna-se tão forte que pode ser difícil ficares deitado na praia sossegado, embora seja conveniente se quiseres pegar numa prancha.

Passeia pela cidade e descobre galerias de arte, lojinhas encantadoras e uma medina estonteante património da Unesco com muralhas, uma cidadela, bastiões e ruas estreitas ladeadas de vendedores. Não percas o porto animado de Essaouira onde atracam os tradicionais barcos de pesca azuis com o peixe do dia.

24 horas no Deserto de Agafay

 Moto quatro no Deserto de Agafay

Moto quatro no Deserto de Agafay

Com um deserto a menos de uma hora de Marraquexe, não terás desculpa para não te aventurares sob o sol abrasador.

Há várias formas de explorar o deserto de pedra de Agafy: a partir de uma genuína tenda nómada, com um passeio de camelo ou enfrentando o terreno pedregoso de moto quatro. Este não é um deserto normal; não há dunas de areia ondulantes, mas uma vasta paisagem pedregosa e árida. E apesar da sua proximidade a Marraquexe, dá a sensação de um lugar verdadeiramente remoto. Com o cair da noite o céu é inundado de milhões de estrelas, cada uma mais brilhante que a outra.

Passa uma noite num acampamento de luxo no Scarabeo Camp (preços a partir de 2,334 MAD [€212] por noite, por tenda) onde tens na ementa actividades como jantares românticos, aulas de ioga e observação das estrelas.

Procurar voos para Marraquexe

Destaques do Norte

Tânger e Chefchaouen

 A Mesquita Sidi Bou Abib Mosque na praça Grand Socco de Tânger

A Mesquita Sidi Bou Abib Mosque na praça Grand Socco de Tânger

Tânger, situada da ponta norte do país, por baixo do Estreito de Gibraltar, tem sido durante séculos a porta de entrada da Europa para o continente africano. No seu auge, Tânger era tão importante quando Londres e Nova Iorque: nos anos 20 era uma zona internacional governada por uma convenção conjunta. Durante este período a cidade prosperou e atraiu uma panóplia de excêntricos, artistas, espiões internacionais e milionários.

Nos dias de hoje, a cidade está a ter um renascimento. Alvo de investimento, está a ser construída uma nova marina, e marcos culturais como a Librairie des Colonnes, uma livraria frequentemente visitada por autores famosos, e o Cinema Rif dos anos 30 foram restaurados aos seus tempos de glória.

A duas horas de carro para sul de Tânger fica uma das cidades mais distintas de Marrocos – Chefchaouen, a Cidade Azul. A cidade é conhecida pelos seus edifícios pintados de azul e, com as montanhas Rif olhando sobre a cidade, cria-se uma paisagem de outro mundo. Embora bastante mais pequena que Tânger, Chefchaouen tem muito para oferecer: uma cultura de café vibrante, artesanato local único e proximidade a zonas verdes tranquilas.

A cidade anciã de Fez

 Os curtumes de couro de Fez usam o mesmo método de tinturaria desde há seculos

Os curtumes de couro de Fez usam o mesmo método de tinturaria desde há seculos

Fez é um lugar de muitas facetas: a segunda maior cidade de Marrocos, com a universidade continuamente aberta mais antiga do mundo, um núcleo ancião de académicos e, supostamente, a maior área urbana sem trânsito automóvel. É uma cidade que das duas uma: ou te apaixonas perdidamente ou te parece avassaladora.

Nas ruas estreitas de medina anciã encontras a vida na sua expressão mais crua: crianças a deambular, burros a carregar vários artigos (lembra-te que não há carros), habitantes locais a trabalhar nos famosos curtumes ao ar livre da cidade, vendedores de rua a promover os seus produtos – tudo desde cerâmica a tapetes a chá de menta açucarado e pratos exóticos como sopa de caracóis, beringela frita e sardinhas picantes.

Volubilis e Moulay Idriss

 O arco triunfal de Volubilis brilhando ao sol

O arco triunfal de Volubilis brilhando ao sol

O ano é AD45; os romanos anexam Volubilis ao Império, fazendo deste o seu posto mais remoto e distante. O extraordinário sítio arqueológico conta a história da ocupação romana que durou cerca de 200 anos. Edifícios notáveis como a basílica, o arco triunfal, as mansões decoradas com mosaico, e até um hammam, reflectem a riqueza da cidade e a sua forte posição como capital de província. Construída sobre alguma da terra mais fértil do Norte de África, a cidade exportava com sucesso trigo e azeite, e até animais selvagens para os jogos romanos à volta do Império.

A uns meros 10 minutos de carro de Volubilis fica uma cidade minúscula, mas historicamente importante: Moulay Idriss. Também conhecida como a cidade sagrada de Moulay Idriss, foi aqui que chegou Moulay Idriss I em 789, trazendo consigo a religião islâmica para Marrocos. O Mausóleo de Idris I é agora um destino sagrado aberto apenas a muçulmanos. Aliás, a cidade inteira esteve limitada exclusivamente ao pernoite de muçulmanos até 2005.

Casablanca

 O pátio da magnífica Mesquita Hassan II

O pátio da magnífica Mesquita Hassan II

Tornada famosa pela história de amor ficcional entre Rick Blaine e Ilsa Lund no filme do mesmo nome, a verdadeira Casablanca é curiosamente uma cidade pouco romântica; o filme não foi sequer aqui rodado. A cidade não atrai o mesmo número de visitas que Marraquexe e Tânger, e quem aqui vem, vem em busca da experiência autêntica de Marrocos. Se viajas pela arquitectura, uma paragem aqui é obrigatória. Desde a arte Deco ao marroquino tradicional ao design moderno, Casablanca é o lugar indicado para libertares o teu nerd arquitectónico interior. Alguns dos destaques incluem a Mesquita Hassan II, a maior mesquita de Marrocos, a Avenida Mohammed V ladeada de palmeiras, um testemunho da influência francesa na cidade, o Cinéma Rialto, uma pérola de arte Deco, e o Mahkama du Pacha, um edifício parlamentar que exemplifica graciosamente o design marroquino.

Procurar voos para Casablanca

Destaques do Sul

Ouarzazate e Ait-Ben-Haddou

 Arquitectura de barro marroquina em Ait-Ben-Haddou

Arquitectura de barro marroquina em Ait-Ben-Haddou

A quatro horas de carro para sul de Marraquexe, Ouarzazate pode não parecer tão impressionante como tudo o resto que terás visto até então. Mas esta pequena cidade consegue mentar-se no centro do comércio e, mais recentemente, transformou-se num hotspot de produções cinematográficas.

Situada estrategicamente num planalto rochoso a sul do Alto Atlas com a Deserto do Saara a espreitar do canto a sul, esta pequena cidade é onde congregavam as pessoas dos vales adjacentes para efectuar trocas comerciais. Em tempos mais recentes, Ouarzazate estabeleceu-se como local de rodagem de cinema. Tendo sido rodados aqui filmes como Babel, Gladiador e Lawrence da Arábia, esta pequena cidade atrai muitos visitantes curiosos que fazem aqui visitas aos estúdios.

A aldeia fortificada de Ait-Ben-Haddou vizinha ostenta exemplos fantásticos da arquitectura de barro marroquina. As casas de vermelho profundo, conhecidas colectivamente como um ksar, deram à aldeia o cobiçado estatuto de Património Mundial da Unesco.

Caminhada na Garganta de Todgha

 Uma aldeia Bérber na Garganta de Todgha

Uma aldeia Bérber na Garganta de Todgha

Deixa para trás os sets de filmagem e segue a estrada para leste em direcção à cidade de Tinghir. A partir daqui podes explorar a espectacular Garganta de Todgha, uma ravina de 300 metros de profundidade. O caminho para a garganta leva-te a atravessar pequenas aldeias e oásis verdes de palmeiras. Com cerca de 15 quilómetros de caminho feitos, elevam-se em teu redor paredes alas de pedra calcária de um vermelho fogoso. Esculpida pelos rios Todgha e Dades, apenas um riacho tranquilo de água cristalina viaja pela garganta.

A caminhada não é particularmente difícil, por isso não é necessário qualquer equipamento profissional, basta um par de sapatos confortáveis e muita água. A melhor altura para explorar a garganta é de manhã cedo quando a primeira luz do sol envolve o desfiladeiro num abraço dourado.

Passeios de camelo no Saara

 Pôr-do-sol no Saara

Pôr-do-sol no Saara

Costa, montanhas, vales, cidades anciãs… Marrocos tem de tudo. Nenhuma viagem a este país magnífico ficaria completa sem uma visita ao Saara. O maior deserto quente do mundo, o Saara estende-se por grande parte do Norte de África – desde o Mar Vermelho a leste ao Oceano Atlântico a oeste.

Um dos caminhos mais acessíveis é via Merzouga, uma pequena aldeia no Sudeste, perto da fronteira com a Argélia. Salta para cima de um camelo que te leva a passear pelas dunas arenosa de Erg Chebbi. Vais chegar às dunas de 150 metros de altura mesmo a tempo do pôr-do-sol. Passa a noite numa tenda nómada sob o céu estrelado. O final perfeito para as tuas férias!

Procurar voos para Marraquexe

Não te vás já embora! Descobre algumas das mais bonitas atracções turísticas à volta do mundo e explora bairros coloridos. Se é pela comida que viajas, aprende tudo o que precisas de saber sobre as melhores cidades para o viajante foodie.
Relacionado
O que fazer em Marraquexe!
— 4 mins de leitura

O que fazer em Marraquexe!

Passadiços em Portugal: 7 passadiços de Norte a Sul
— 9 mins de leitura

Passadiços em Portugal: 7 passadiços de Norte a Sul

Termas de Portugal: as 6 melhores termas de Norte a Sul
— 8 mins de leitura

Termas de Portugal: as 6 melhores termas de Norte a Sul