Perdido na natureza: o guia completo para a tua road trip de 10 dias pela Islândia

A derradeira road trip pela Islândia: descobre vulcões, glaciares, cascatas e aldeias pitorescas neste itinerário de 10 dias à volta do país inteiro.

As paisagens incríveis da Islândia deviam pôr o país na lista de sítios a viajar de toda a gente
As paisagens incríveis da Islândia deviam pôr o país na lista de sítios a viajar de toda a gente

Põe-te à estrada e descobre as maravilhas naturais da Islândia com o nosso itinerário de 10 dias pelo país na época fria. Pode ser que até vejas a elusiva Aurora Boreal, um fenómeno de luz hipnotizante. Marca já o teu voo e deixa-nos guiar-te até marcos impressionantes e os melhores hotéis com a nossa road trip pela Islândia.

Também compilámos uma playlist para criar o ambiente islandês ideal.

 Apanha a Hringvegur e explora o país inteiro

Apanha a Hringvegur e explora o país inteiro

A nossa road trip islandesa segue pela Hringvegur, a auto-estrada principal que atravessa o país inteiro num anel. A estrada, chamada sobriamente ‘Route 1’, tem 1.339 km de comprimento e leva-te a passar por algumas das paisagens mais extraordinárias que a Islândia tem para oferecer.

Para quem tenciona fazer a viagem durante os meses de Inverno, este é o único percurso aberto já que o mais provável é as estradas de montanha interiores estarem intransitáveis.

Informação prática

Antes de mergulhares de cabeça nesta aventura, é bom ter presentes algumas informações práticas importantes. Durante o Inverno islandês é normal apanhar estradas escorregadias e zonas com neve, por isso certifica-te de que o carro 4×4 que alugas vem equipado com pneus com pregos.

No caso de mudanças súbitas no tempo, acede ao vegagerdin.is, um website que actualiza as condições atmosféricas e de estrada no país inteiro em tempo real. Para mais informação útil sobre conduzir na Islândia, espreita o website da Visit Iceland.

Para quem procura uma forma mais segura e relaxada de conhecer a Islândia, há muitas visitas guiadas que te levam pelo país inteiro. Em alternativa, podes planear a tua viagem em torno dos percursos de transporte público existentes que cobrem todo o país.

A Aurora Boreal é visível de Setembro a Março, algures entre as 6 da tarde e as 6 da manhã – e pode durar cinco minutos ou cinco horas. Para que a possas ver, precisarás também de um céu escuro e limpo – e bastante sorte.

Por isso, é preciso um pouco de flexibilidade para embarcares nesta viagem, e o sono talvez não seja a prioridade. Visita o Aurora Forecast, um website que te mostra uma previsão de cinco dias indicando se será ou não possível ver a Aurora Boreal.

Mesmo que não vislumbres esta luminescência sensacional, estás com sorte: a Islândia tem natureza de fazer cair o queixo, e quando a tiveres visto vais achar que chegaste mesmo a tempo do nascimento do planeta. A natureza islandesa irradia uma força primordial, as formas são precisas, as cores intensas e o ar salgado.

Dia 1 – Reykjavik

A Hallgrímskirkja ergue-se imponente sobre Reykjavik

A Hallgrímskirkja ergue-se imponente sobre Reykjavik

Naturalmente, o mais provável é voares até Reykjavik, a pequena cidade capital da Islândia (vivem aqui cerca de 120.000 pessoas).

A cidade dá-se muito a passeios a pé, por isso calça os teus sapatos confortáveis e parte a explorar. Faz uma paragem ao pé do porto para veres chegar os barcos cheios de peixe acabadinho de pescar. Sobe a colina para chegares a Skólavörðustígur, uma rua movimentada com pequenas galerias e lojas de design.

No topo da colina deixa-te maravilhar pela monumental Hallgrímskirkja, a maior igreja da Islândia. Alternativamente, conduz 40 minutos para sudoeste de Reykjavik e passa o dia nas termas naturais da Lagoa Azul. Para mais informação, espreita o nosso artigo sobre as melhores piscinas naturais.

Acaba o dia com um generoso jantar New Nordic no Dill, um dos melhores lugares na cidade para comer marisco. Se estiveres com vontade de começar a caça à Aurora, dirige-te para a zona de Seltjarnarnes ao pé do mar. Aqui estarás afastado das luzes de rua e, se tiveres sorte, consegues ver o teu primeiro espectáculo de luz.

Vais visitar Reykjavik em Novembro? O festival de música Iceland Airwaves (2-6 Novembro) toma a cidade de assalto com um cartaz de artistas tanto islandeses como internacionais.

Hotel recomendado: Hotel Reykjavik Centrum (preços a partir de 15,705 ISK [125€])

Dia 2 – O Círculo Dourado

 Surreais e inspiradoras – As cataratas de Gullfoss

Surreais e inspiradoras – As cataratas de Gullfoss

Não muito longe de Reykjavik (uma hora de carro), encontras três dos destinos mais populares da Islândia. As cataratas de Gullfoss, o Parque Nacional de Þingvellir e os géiseres de Haukadalur formam o Círculo Dourado.

Primeira paragem: Parque Nacional de Þingvellir . Vales lindos, montanhas cobertas de neve, lagos de água cristalina– este lugar é um paraíso para os amantes de natureza. É também aqui que as placas tectónicas da América do Norte e da Eurásia se encontram, e o seu processo geológico criou um anfiteatro natural. Foi aqui que o primeiro parlamento islandês, o Althing, foi estabelecido em 930 e realizou sessões até 1798.

Segunda paragem: as enormes cataratas de Gullfoss. De longe parece que o rio Hvítá desaparece simplesmente para dentro da terra, mas quando te aproximas reparas nas quantidades impressionantes de glaciar derretido que caiem abruptamente para dentro de uma fenda de 32 metros, produzindo névoas densas. Podes dar a volta à borda e espreitar para dentro da cascata colossal – as vistas aqui são tão dramáticas quanto mistificantes.

 O espectáculo no Géiser Strokkur

O espectáculo no Géiser Strokkur

Finalmente, chegaste a zona geotermal de Haukadalur. Este espectáculo de água a ferver em erupção é talvez como a maioria das pessoas imagina a Islândia. Há dois géiseres, o Geysir e o Strokkur, mas os “espectáculos” são sobretudo proporcionados pelo segundo. Podes aproximar-te dele, mas ficas avisado de que o cheiro a enxofre é difícil de suportar.

Hotel recomendado: Ion Luxury Adventure Hotel (preços a partir de 35,785 ISK [284€]). Lê mais sobre este hotel no nosso artigo sobre os melhores hotéis para ver a Aurora Boreal

Dias 3 & 4 – Sul da Islândia

 Andar num glaciar em Sólheimajökull

Andar num glaciar em Sólheimajökull

Alguma vez te perguntaste como é que os Vikings eram capazes de andar sobre o gelo durante os Invernos severos? Experimenta por ti mesmo com caminhadas guiadas sobre o Glaciar de Sólheimajökull, uma concentração escarpada de água gelada, onde encontras dolinas de gelo, rebordos recortados e até uma parede de gelo a que poderás subir.

Vai de carro até à pequena aldeia de Vik onde fica uma das praias mais impressionantes, a praia Reynisfjara de areia preta. Seixos pretos cobrem a praia inteira, que ostenta colunas de basalto assemelhando-se a uma pirâmide de degraus rochosos. As colunas de basalto emergem também do mar tempestuoso, dando a impressão de que possam conjurar-se aqui a qualquer momento os deuses da antiguidade.

 Os destroços do acidente de avião em Sólheimasandur é algo a testemunhar

Os destroços do acidente de avião em Sólheimasandur é algo a testemunhar

Com uma curta viagem de 20 minutos de carro de Vik chegas aos destroços assombrosos do acidente de avião em Sólheimasandur. Em 1973, um avião da marinha americana foi forçado a aterrar de emergência na praia de areia preta de Sólheimasandur; todos os membros da tripulação sobreviveram, mas a fuselagem do avião ficou aqui abandonado, fazendo com que se tornasse um dos lugares mais icónicos na Islândia para tirar fotografias.

Acaba o dia com uma caça à Aurora à volta de Vik.

Hotel recomendado: Hotel Katla Hofdabrekka (preços a partir de 13,340 ISK [106€])

Dias 5 & 6 – Islândia Oriental

 As grutas glaciares em Vatnajökull são estonteantes

As grutas glaciares em Vatnajökull são estonteantes

A Islândia Oriental abrange vales, fiordes íngremes, picos montanhosos e minerais interessantes– em suma, um melting pot geológico.

O Parque Nacional de Vatnajökull, o maior parque nacional da Europa, cobre 13% da massa terrestre da Islândia, e engloba a cordilheira de Kverkfjöll com vulcões activos e grutas glaciares, o paraíso de escalada que é Hvannalindir, o vulcão ancestral dormente Snæfell e veados selvagens.

Ao conduzir pelo lado oriental, vais passar por muitas aldeias, todas mostrando claras influências dos vizinhos do Norte da Europa, e até de França, graças aos vários entrepostos comerciais para pescadores franceses no leste da Islândia ao longo do século XIX. A forte herança francesa é imediatamente observável ao dares uma volta – os sinais de rua estão em francês e islandês.

Deixa-te ficar um pouco, marca uma tour e explora este canto isolado deste país remoto.

Hotel recomendado: Fosshotel Eastfjords (preços a partir de 10,625 ISK [85€])

Dias 7 & 8 – Norte da Islândia

 As Cataratas de Dettifoss na sua pose majestosa e poderosa

As Cataratas de Dettifoss na sua pose majestosa e poderosa

Esta região tem seis estâncias de ski, com Hlíðarfjall e Tröllaskagi entre as melhores. Esta última oferece desportos radicais como ski fora de pista, heli-ski e ski alpino.

Um destaque aqui são as Cataratas de Dettifoss, uma das maiores da Europa com 500 metros cúbicos de água mergulhando sobre a borda a cada segundo; para te dar uma noção, isso são à volta de 500 banhos por segundo. A uma hora de carro encontras o desfiladeiro em forma de ferradura de Ásbyrgi. Segundo a mitologia nórdica, o desfiladeiro foi criado quando o cavalo de oito pernas de Odin, o Sleipnir, tocou o chão com uma das suas patas.

Outro destaque é Dimmuborgir, uma zona vasta de campos de lava com formatos peculiares que, de acordo com os mitos islandeses, é onde a Terra se liga ao inferno. Os Yule Lads, umas personagens malandras tipo Pai Natal da Islândia, fizeram deste lugar a sua casa e vais certamente encontrá-los quando lá estiveres.

 Akureyri de noite

Akureyri de noite

Passa umas horas a investigar as ruas de segunda maior cidade da Islândia, Akureyri. Embora fosse considerada uma vila em qualquer outro país, Akureyri tem ambições cosmopolitas: muitos cafés, restaurantes de qualidade e uma noite dinâmica. Depois de deambulares por aldeias minúsculas, vais sentir que chegaste a uma metrópole e esquecer que só vivem aqui 18.000 pessoas.

Hotel recomendado: Icelandair Hotel Akureyri (preços a partir de 14,046 ISK [112€])

Dia 9 – Islândia Ocidental

 O Glaciar de Snæfellsjökull Glacier, um dos picos mais pitorescos da Islândia

O Glaciar de Snæfellsjökull Glacier, um dos picos mais pitorescos da Islândia

Já quase deste a volta completa a este país extraordinário, e podes até achar que já viste tudo. Ainda não! Mesmo ao lado da Hringvegur fica o Glaciar de Snæfellsjökull. A 1.446m acima do nível do mar, o glaciar é um vulcão activo, destacado no romance de aventura de 1846, Viagem ao Centro da Terra, de Júlio Verne. Em dias de céu limpo o glaciar é visível de Reykjavik a uma distância de 120km.

 A praia de areia preta de Djúpalónssandur parece algo assombrada fraças às suas formações rochosas peculiares

A praia de areia preta de Djúpalónssandur parece algo assombrada fraças às suas formações rochosas peculiares

Combina uma caminhada pelo glaciar com uma visita à Gruta de Lava Vatnshellir, que revela formações de lava únicas ao longo de uma extensão de 200m. Acaba o dia com um passeio pela Praia de Djúpalónssandur coberta de pequenos seixos pretos e rodeada de formações rochosas irregulares.

Hotel recomendado: Icelandair Hotel Hamar (preços a partir de 14,107 ISK [112€])

Dia 10 – Conduz de volta a Reykjavik

Antes de embarcares na tua viagem de regresso a casa, não deixes de provar o famoso tubarão fermentado ou baleia curada da Islândia no restaurante 3Frakkar, um sítio que tem ganho a sua reputação preparando alguns dos melhores pratos de peixe de Reykjvik. Até o Jamie Oliver é fã.

Procurar voos para Reykjavik
À procura de mais informação? Espreita os melhores hotéis na Islândia para ver a Aurora Boreal e prepara-te para te pores à estrada com o nosso guia para road trips.